Notícias

Banca de DEFESA: RITA ADRIANA DA SILVA PALHETA MENDONÇA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RITA ADRIANA DA SILVA PALHETA MENDONÇA
DATA: 01/04/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Sala S 8 - Bloco das Pós-graduação
TÍTULO:

História e Cultura Africana e Afro-Brasileira na sala de aula: caminhos para combater o racismo


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de História;  Livro didático; Racismo; Cultura africana e afro-brasileira; Catálogo


PÁGINAS: 176
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

Este estudo trata das representações apresentadas sobre o negro no contexto escolar e livros

didáticos de História que são utilizados pelos alunos da rede pública estadual de ensino do

Amapá, de modo particular, na Escola Estadual Professor José Barroso Tostes, localizada no

município de Santana. Questiona de que forma a escola com seus materiais didáticos, aliada à

prática docente, contribuíram ou contribuem na construção de uma imagem estereotipada e

preconceituosa sobre os negros em meio a sociedade; reflete sobre o racismo e o processo de

estereotipagem nas escolas brasileiras, em especial no Estado do Amapá; analisa de que

maneira o ensino de História com seus conceitos, fundamentos e método podem contribuir

para a ressignificação da imagem do negro no ambiente escolar.Ademais, apresenta os

desafios para a implementação da lei 10.639/2003 que tornou obrigatório o ensino da História

da África e da cultura Afro-brasileira, com o intuito de uma educação antirracista; discute a

possibilidades de inserir a História da África e dos afro-brasileiros na sala de aula. A

metodologia utilizada para a elaboração deste trabalho configurou-se numa abordagem

qualitativa consubstanciada pela pesquisa documental, bibliográfica, interpretação do

contexto escolar e do livro didático e paradidático de História, utilizou-se também a

metodologia intervencionista, com o desenvolvimento do projeto “Conhecendo e valorizando

a história e a cultura africana e afro-brasileira: caminhos para combater o racismo” realizado

com os alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Professor José Barroso Tostes, para a

implementação desse projeto aplicou-se a metodologia desenvolvida por Isabel Barca (2004),

as aulas oficina, a qual utiliza  múltiplos recursos para alcançar os objetivos propostos, nesta

metodologia o professor  é aquele que organiza atividades problematizadoras e o aluno o

agente de sua formação munido de experiências e ideias prévias, com isso o resultado é o

material produzido pelo aluno. As aulas oficina deram origem a um catálogo com propostas

de atividades educativas, cujo objetivo é apresentar a professores possibilidades de inserção

do tema cultura africana e afro-brasileira nas salas de aula do Ensino Médio de forma

interdisciplinar, possibilitando, assim, aos estudantes, descendentes de africanos ou não,

conhecerem sua identidade étnico, histórico e cultural, desconstruírem estereótipos que

inferiorizam e excluem o negro nesta sociedade, que aprendam a respeitar as expressões

culturais negras e de outras raízes étnicas que fazem parte da história e da vida de nosso país e

que reconheçam o Brasil como um país multicultural.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1170582 - CECILIA MARIA CHAVES BRITO BASTOS
Externo ao Programa - 1173630 - EUGENIA DA LUZ SILVA FOSTER
Presidente - 1121379 - SIMONE GARCIA ALMEIDA
Notícia cadastrada em: 17/03/2020 16:37
SIGAA | Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI-UNIFAP) - (096)3312-1733 | Copyright © 2006-2020 - UNIFAP - sig-instancia-01.unifap.br.srv1inst1